Terça-feira, 29 de Novembro de 2011

Pedras da calçada Lisboeta

 
Foto de Bernardo Gomes
 

No silêncio da noite sonolenta, escutava o ressoar dos seus passos cadenciados, leves.

Caminhava sem pressa, sem destino, sem rumo, apenas para se sentir totalmente inteiro nos seus pensamentos que o transportavam a prazeres poucas vezes sentidos.

Deixou-se guiar pelas luzes dos candeeiros antigos e cansados.

Voou pelas asas da imaginação, pintou de cores portas fechadas e janelas escuras.

Deambulou por entre ruas e vielas contornando casas que as estreitavam e ouviu dos telhados os murmúrios e os suspiros que se evaporavam.

Lembrou-se do fado, canção tão chorada de que não gostava.

Dos poetas que cantavam os amores e as tertúlias da noite boémia e que não lia.

E no turbilhão do silêncio ensurdecedor sentiu a vida que o chamava e o tempo que passava como o deslocar soprado do vento.

Quanta calma, mas quantos gritos calados no seu caminhar solitário.

E no entanto, sentia-se completo, livre, em casa, aconchegado.

Olhou as pedras da calçada, tão característica da sua cidade, que continuava a trilhar.

Tinham brilho próprio, polidas mas gastas por tantos passos desconhecidos que a pisavam.

Percebeu que aquelas pedras respiravam, contavam histórias e delas, milhares de rostos se desenhavam.

Transpiravam plenas de vida. De vidas passadas, ausentes, alheadas, presentes, de hoje, de ontem, salpicadas de lágrimas, semeadas de sorrisos.

Pulsavam a cada minuto decorrido.

 

A noite é mágica, tem destas coisas! Oferece-nos momentos quase perfeitos.

 

E foi então que se apaixonou por aquelas pedras da calçada.

 

 

 

Mafalda, 27 de Novembro de 2011

 


publicado por mafalda-momentos às 16:04
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|
Sábado, 26 de Março de 2011

Flor do meu jardim

 

 

Onde vais flor do meu jardim?

Porque foges assim de mim?

Serei eu que não cuido bem de ti?

Ou serás tu que te refugias só em ti?

 

Não deixes que uma luz que se apaga te roube a silhueta

Nem que qualquer vento súbito e imprevisto te derrube

Nem que os pingos da chuva te fustiguem, te entristeçam

Tão pouco recuses, negues ou amaldiçoeis a vida.

 

A terra à tua volta te renovará a energia!

Basta que a procures e a sintas e a saúdes.

Acolhe em teu corpo a vida que te quer inteira

Deixa que em ti poise e te abrace o luxo do amor.

 

Não vás!

Fica comigo flor do meu jardim,

Aqui, no meu jardim encantado.

 

 

Mafalda, 26 de Março de 2011

 


publicado por mafalda-momentos às 16:05
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
|
Segunda-feira, 21 de Março de 2011

Dedicado ao dia Mundial da Poesia

 

Tem que haver gostos para tudo.

Eu gosto de poesia.

Ela é bela.

E gosto de fotografia e gosto da natureza.

 

Para ilustrar um lindo poema esta imagem de grande beleza.

Sabe a vida cheia de cor, sabe ao doce do amor.

 

 

http://olhares.aeiou.pt/o_outono_foto4061647.html

Autor da foto: Jorge de Freitas Soares 

 

“O poeta é um fingidor.

Finge tão completamente

Que chega a fingir que é dor

A dor que deveras sente.”…

 

De Fernando Pessoa (Autopsicografia)

 

Já que poeta não sou, deixo este de verdade.

 

 

Tenho fases, como a lua.

Fases de andar escondida,

fases de vir para a rua...

Perdição da minha vida!

Perdição da vida minha!

Tenho fases de ser tua,

tenho outras de ser sozinha.

Fases que vão e que vem,

no secreto calendário

que um astrólogo arbitrário

inventou para meu uso.

E roda a melancolia

seu interminável fuso!

Não me encontro com ninguém

(tenho fases, como a lua...)

No dia de alguém ser meu

não é dia de eu ser sua...

E, quando chega esse dia,

o outro desapareceu....

 

CECÍLIA MEIRELES

 


publicado por mafalda-momentos às 10:50
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 21 seguidores

.pesquisar

 

.Setembro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Pedras da calçada Lisboet...

. Flor do meu jardim

. Dedicado ao dia Mundial d...

.arquivos

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Junho 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

.tags

. todas as tags

.Musica

.O meu primeiro Selo


Obrigada Libel Linda

.O meu "Segundo" Selo


Obrigada Fátima

.El Puente - Serpai - 27/08/2010

Además del sello te regalo mi flor favorita... Gracias Sergio... un abrazo

.Obrigada luadoceu - 21/10/2010

.subscrever feeds