Quinta-feira, 20 de Agosto de 2009

A magia, o encanto, a beleza deste "mundo" dos Blogs

 

Há quase três anos que navego por este mundo dos blogs.

Entrei devagarinho pelo blog da Madalena e admito, não podia ter entrado melhor.

Ela é de uma sensibilidade e de uma capacidade de transmissão dos sentimentos, das emoções que transforma em belos, mesmo os mais tristes e nos deixa a nós emocionados de tal forma, que se lêssemos alto o que escreve, a voz se nos embargava comovida. Já aqui falei dela.

Foi sempre assim que a acompanhei. Primeiro deixei ainda alguns comentários, até que passei a visitá-la em silêncio, porque era impossível expressar o que me fazia sentir. Penso que alguma coisa grave atormentou Madalena, algo que nunca revelou na sua essência, mas que tão bem “dissimulou” (no bom sentido), em palavras de paixão sentida.

Mas quem sabe se o que digo é certo?

A par deste blog fui descobrindo e visitando outros, até que um dia surpresa e triste, li a despedida de Madalena. Foi aqui que não resisti e escrevi-lhe, confesso sem grande esperança de resposta.

Meus filhos sempre me diziam – Estás enganada mãe. Neste mundo da internet, encontras muito mais pessoas solidárias do que imaginas, às vezes mais que na vida real.

E tinham razão! Madalena respondeu-me. E respondeu-me com a sensibilidade que a caracteriza.

Por esta altura eu escrevia já e pela minha cabeça passava, eu própria construir um blog. Não importava que fosse muito visitado ou não. O que contava é que para mim escrever era uma forma de libertação de sentimentos enraizados em mim, que colidiam com a minha forma de ser e estar na vida e nos momentos em que escrevia fazia-me bem, sentia-me mais eu, de quem nesse tempo, eu não gostava.

É dos piores sentimentos que podemos sentir, não gostar de nós próprios. Foi um dos períodos conturbados da minha vida que mais longo foi de fazer o luto. Difícil de explicar isto! Embora saiba porquê, embora eu seja uma lutadora, embora eu goste e saboreie o lado bom da vida, embora a esperança seja uma companheira presente e me “salve” muitas vezes.

Escrever, sempre escrevi. Desde os meus tempos de escola.

Fiz o liceu no Colégio de S. José, um colégio de freiras Dominicanas (ligadas ao Colégio do Ramalhão em Sintra), situado no Restelo.

Tive como professora de português a Dra. Maria de Lurdes Saraiva, professora excepcional, apaixonada pelo que fazia, conseguia captar o interesse, mesmo por aquelas para quem esta disciplina, era irmã da matemática (o Português e a matemática são sempre as disciplinas de piores resultados nas pautas). Fui colega de turma da Maria e da Sofia, duas irmãs filhas da Sophia de Mello Breyner. A Maria, como a mãe, toda voltada para as artes da escrita; a Sofia, ao contrário, toda voltada para as ciências do concreto.

Não soube nunca se Maria terá seguido as pegadas da mãe. Se o fez, foi certamente com um nome que nunca me levou até ela.

Falo de tudo isto para dizer, não sem uma certa vaidade, que os trabalhos da Maria e os meus, eram sempre os melhores e lidos em voz alta, explanados à exaustão, para que toda a turma pudesse “aprender” algo mais.

Momentos de orgulho estes!

E pela vida fora, fui, aqui e ali, escrevendo algumas coisas, até que um dia num daqueles meus impulsos deitei tudo fora, pensando que nada valiam.

Podiam, efectivamente, nada valer, mas hoje arrependo-me desse gesto.

Pedi uma critíca, a quem, em cujo saber confiava. E ela incentivou-me. E eu criei o meu espaço.

Desde então, noto hoje, que este mundo dos blogs cresceu imenso.

Há quem diga que está na moda. Eu diria que é uma forma que cada um encontrou de se libertar, de se expressar, de comunicar, até de encontrar novos interesses. Quem sabe não sairão daqui alguns bons escritores, como diria o grande poeta Fernando Pessoa, não de profissão, mas de vocação.

E eu, vou passeando neste “mundo”, quase sempre em silêncio e muitas vezes na leitura dos comentários, vou descobrindo, não só, novos extremamente interessantes, como noto que aqui as pessoas estão presentes nos bons e maus momentos, criam-se amizades sinceras, desprovidas de quezílias.

Há pouco tempo, encontrei um blog em que o autor dispõe a maior parte dos seus textos de uma forma interactiva, extremamente participativa e atrevi-me a começar a comentar.

E ele sempre respondendo a todos os intervenientes (para mim a forma mais correcta de estar num blog – a resposta) como um diálogo escrito.

Aconteceu no entanto, pareceu-me a mim, que de algum modo involuntário, terei “ferido” a sua sensibilidade. Pareceu-me senti-lo na sua resposta, mas não consigo ter certezas.

Pelo sim, pelo não, achei por bem que o melhor de tudo será continuar por aqui, na minha posição em silêncio.

Por acaso quando lemos um livro podemos fazer comentários directos ao autor? Então? Porque não no mundo dos blogs?

Como em tudo na vida, cada um reage à sua maneira.

 

Mafalda, 20 de Agosto de 2009


publicado por mafalda-momentos às 22:47
link do post | comentar | favorito
|
3 comentários:
De 100timento a 21 de Agosto de 2009 às 18:05
Li e gostei e como prometido vim...

Durante anos aprendi a viver neste mundo virtual,apaguei blogs reconstrui blogs ausentei-me regressei e no meio de tudo isto conheci vários tipos de pessoas;
Pessoas, que tem boa vontade em ajudar a conhecermo-nos melhor;
Pessoas carentes de amor; de carinho; de amizades;
Pessoas que se divertem, e divertem pessoas;
Pessoas verdadeiramente anjos; salvadores de almas; de uma bondade infinita; que nunca medem esforços para ajudar o seu semelhante;
mesmo sem lhes conhecer a face;
ou o cheiro; ou a voz...

mas também...

Pessoas amargas, que se vestem de anjos
e se aproveitam da boa vontade dos outros;
Pessoas manipuladoras, que adoram fazer dos outros marionetes;
Pessoas más; que sempre gostam de fazer
dos outros joguetes, e se eles não respondem as suas expectativas são julgados; pisados;e
acabam com suas vidas virtuais.

Mas tal como na vida real aprendemos a saber lidar com todos,unir e separar amar e ignorar porque a
Vida virtual é tão forte como a Real; sentimos, amamos; sentimos raiva; mágoa; tristezas; alegrias; rimos; choramos.

È este o teu mundo...

o meu mundo...

o nosso mundo...

e sinto-me bem,por esse motivo fiquei feliz por teres comentado no meu blog e espero que mais vezes ok?

Um beijinho do Rui


De mafalda-momentos a 21 de Agosto de 2009 às 19:55
Por certo terás razão.
A tua experiência neste "mundo" é mais vasta que a minha.
Hoje já li muito mais de ti do que quando te deixei o meu comentário.
O que escreves e nos deixas ler é de um poeta de extrema sensibilidade para com os sentimentos que expressas, onde deixas deslizar a beleza e o encantamento do amor, da paixão,...que fazem de ti uma pessoa especial.
As pessoas especiais como tu, tornam-se mais fácilmente alvos dos "exemplares" que descreves em segundo lugar, porque infelizmente nem todos conseguem admitir a "superioridade" de um semelhante seu. Deveriam antes dar graças por eles existirem e aproveitarem para disfrutar daquilo que de
mãos abertas lhes oferecem, mas...
Percebo que tal como na vida real, há que ultrapassar tudo e sobretudo sem medo de viver.
E se por momentos nos deixarmos levar pelo desanimo...é humano.
Rui eu é que me sinto feliz por ter encontrado o teu blog, que passará a ser visita obrigatória pois já não dispenso a sua beleza e por poder registar no meu, a tua passagem.
Torna-se dificil comentar tanta qualidade como a tua, mas tentarei sim deixar-te as minhas impressões.
Um beijinho da Mafalda


De 100timento a 21 de Agosto de 2009 às 21:33
Mafalda,agradeço comovido a tua escrita sobre mim...e deixa então que te diga uma coisa,não é dificil comentar seja o que for ,basta que sejas tu tal como és...adoro a simplicidade.
Um beijinho do Rui


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.posts recentes

. A minha despedida

. Cansativo

. Desfolhando o malmequer.

. A praia é só deles.

. Ó noite de Santo António

. A pena do gabbiano deslis...

. O BEIJO

. Primavera

. Casa Arrumada... Desarrum...

. CASA ARRUMADA

.arquivos

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Junho 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

.tags

. todas as tags

.links

.Musica

.O meu primeiro Selo


Obrigada Libel Linda

.O meu "Segundo" Selo


Obrigada Fátima

.El Puente - Serpai - 27/08/2010

Además del sello te regalo mi flor favorita... Gracias Sergio... un abrazo

.Obrigada luadoceu - 21/10/2010

.subscrever feeds